Museu Escola - Unesp Botucatu /SP
População

População

Originalmente o termo população era usado apenas para um conjunto de pessoas. Na Ecologia o conceito foi estendido para incluir grupos de indivíduos de qualquer organismo, ou seja, de qualquer espécie, não obrigatoriamente apenas de humanos. Sendo assim, população é o conjunto de seres vivos da mesma espécie e que vivem na mesma região numa certa época. Ou seja, grupo de indivíduos da mesma espécie que ocupam um determinado habitat num determinado tempo. O grupo de esquilos que vive em uma mesma cidade ou um grupo de onças no pantanal constitui, cada um deles, uma população diferente. A população de Botucatu nesse ano, a de ratos em um bueiro em determinado dia ou a população de bactérias que estão causando pneumonia durante o período de duração da doença são outros exemplos de população.

Vários fatores podem regular o tamanho das populações: o clima, a competição entre os indivíduos da mesma espécie ou entre espécies diferentes (por alimentos, por território, etc.), a predação, o parasitismo, entre outros. Em alguns casos a população pode se tornar muito grande, com um número descontrolado de indivíduos. Por exemplo, no século XIX alguns coelhos foram levados da Inglaterra para a Austrália. Na Inglaterra existiam os predadores e parasitas desses coelhos que controlavam a população, mas o mesmo não aconteceu na Austrália. Assim, o número de coelhos cresceu muito rápido, e estes começaram a destruir as plantações.

Também há o caso do caramujo africano, que foi trazido para o Brasil para fins alimentares, mas não fez sucesso. Os criadores os soltaram nas matas e então estes começaram a se reproduzir rapidamente. Sem a presença de seus predadores naturais, os caramujos se tornaram uma “praga” e hoje podem ser encontrados em quase todo o país.

Como citar:

Autores:
Data Publicação: 05/02/2017
Página: http://museuescola.ibb.unesp.br/subtopico.php?id=1&pag=12&num=2