Museu Escola - Unesp Botucatu /SP
Meiose

Meiose

Agora que nós aprendemos um pouco sobre a mitose, você pode estar se questionando: “Mas se as células se dividissem só por mitose, todos os indivíduos de uma espécie deveriam ser geneticamente parecidos, já que as células-filhas são iguaizinhas à célula mãe... Então como existe tanta variabilidade emalgumas espécies?”. Essa realmente é uma boa pergunta. Populações de seres vivos que se reproduzem por mitose, como as bactérias, são menos variados e mais similares geneticamente, tendo a maior parte da variabilidade vinda de mutação. Mas e quando falamos de cães, gatos ou mesmo humanos, nos quais cada indivíduo é tão diferente de seus próprios pais e de todos os outros indivíduos da sua espécie?

Essa grande diferença entre indivíduos acontece por que essas espécies possuem reprodução sexuada. Nela, cada indivíduo tem metade de seus genes vindo do pai e a outra vindo da mãe: na fecundação, para a formação de um novo ser vivo, há a fusão de uma célula materna, contendo os seus genes, com uma célula paterna, que também tem seus próprios genes. Como resultado, forma-se uma nova célula com um conjunto genético único, com alguns alelos provenientes do pai, outros da mãe. Essas células maternas e paternas que se fusionam são chamadas de gametas, e a célula resultante da fecundação é o zigoto. Diante dessa situação, você deve ter pensado em duas possibilidades:

E  o que realmente acontece é a segunda opção. Essas células especiais são formadas por um processo chamado meiose, que vamos estudar agora.

Como citar:

Autores: Flávia Karina Delella, Maria Laura Gabriel Kuniyoshi,
Data Publicação: 00/00/0000
Página: http://museuescola.ibb.unesp.br/subtopico.php?id=3&pag=23&num=3