Museu Escola - Unesp Botucatu /SP
Daltonismo

Teste para o daltonismo: atividade prática

OBJETIVOS

A atividade prática proposta permite o professor identificar pessoas daltônicas na sala de aula e desenvolver outros conteúdos como genética mendeliana, herança ligada ao sexo, genética de população e investigação da herança de um caráter na família e construção de heredogramas.

1) Baixar os seguintes arquivos para o seu computador, clicando em cada item abaixo

Cartões de Ishihara (arquivo em PowerPoint)
Tabela de Dados a ser preenchida pelos alunos
Gabarito do Professor

2) Inicie a apresentação dos Cartões de Ishihara. Cada figura aparecerá numa ordem numérica de 1 a 17. Para cada figura, o aluno deveráanotar, respectivamente, o número que está reconhecendo na tabela de dados. O arquivo foi programado para que cada figura fosse apresentado num intervalo de 10 segundos, tempo para observar e anotar a informação na Tabela de Dados.

3) Terminada a consulta, o professor deverá conferir os números anotados pelos alunos e compará-los a um “Gabarito” que indica os números vistos por uma pessoa de visão normal. Recolha as tabelas preenchidas pelos alunos, identificadas pelo nome, e proceda à conferência. Compare se a freqüência na sala de aula corresponde à da população. 

OBSERVAÇÃO: Se o teste for para pessoas não-alfabetizadas, baixe outro arquivo Clique aqui usando as figuras de número 18 a 24. Cada figura colorida apresenta uma "trilha" que deve ser seguida com a pessoa apontando o seu inicio e o termino (de um X para outro). Os demais procedimentos são os mesmos.

Antes de realizar o teste, sugere-se ao professor, fazer uma introdução teórica ao assunto, esclarecendo o que é o daltonismo e os aspectos genéticos desta característica. É importante, nesta explanação, não caracterizar o daltonismo como anomalia, mas sim como mais uma característica determinada geneticamente, como também o são o canhotismo, lóbulo preso da orelha, depressões auriculares (covinha) no lóbulo da orelha, etc.

 

ATENÇÃO

É importante enfatizar que o daltônico não é menos ou mais capaz em identificar objetos, distinguir cores, apreciar o mundo ao seu redor. O que nós chamamos de verde, também é verde para o daltônico. Se o daltônico eventualmente se atrapalha na distinção entre objetos que diferem apenas pela coloração, o canhoto pode se atrapalhar com objetos próprios à manipulação por destros, assim como um terceiro pode se assustar ao perceber que sua urina tem coloração vermelha, em decorrência de ter ingerido beterraba em refeições anteriores (outro caráter de herança recessiva). Portanto, cabe ao professor esclarecer devidamente a classe para evitar contratempos e, identificando daltônicos, encaminhá-los aos serviços de oftalmologia da escola para maiores esclarecimentos e orientação.

Baixe as instruções detalhadas, clicando aqui.

Como citar:

Autores: Guaracy Tadeu Rocha,
Data Publicação: 00/00/0000
Página: http://museuescola.ibb.unesp.br/subtopico.php?id=5&pag=37&num=1&sub=80